Federação Angolana de Futebol não paga salários há vários meses
A Federação Angolana de Futebol (FAF), liderada por Pedro Neto, não cumpre com as suas obrigações salariais para com os seus técnicos pelo menos desde há oito meses, segundo avança a edição impressa de hoje do Jornal de Desportos (JD).Segundo a mesma publicação, é avançado que...

Federação Angolana de Futebol não paga salários há vários meses

Federação Angolana de Futebol · Palancas Negras · Associações Provinciais

A Federação Angolana de Futebol (FAF), liderada por Pedro Neto, não cumpre com as suas obrigações salariais para com os seus técnicos pelo menos desde há oito meses, segundo avança a edição impressa de hoje do Jornal de Desportos (JD).

Segundo a mesma publicação, é avançado que todas as equipas técnicas nacionais, desde os escalões sub-17 até aos seniores, se encontram sem receber os seus ordenados há oito meses, o que fez já com que os projectos relacionados com os Sub-17 e Sub-20 se encontrem parados. Citando a fonte do JD no esclarecedor artigo assinado por Betumeleano Ferrão: "Neste momento apenas os treinadores estão quase um ano sem receber, é natural que estejam sem muita motivação para o trabalho, mas o problema maior pode estar nos jogadores, eles têm motivos para desconfiar que também vão ficar muito tempo sem receber as compensações financeiras a que têm direito [...] Ainda bem que Romeu Filemon (n.d.r - Seleccionador Nacional) tocou, embora de leve, nesta questão, porque todos eles (treinadores), desde aos Sub-17 aos seniores, estão na mesma situação, ninguém lhes paga nada mas depois querem exigir bons resultados".

A mesma falta de liquidez financeira fez já com que este ano Angola não participasse na Taça COSAFA.

Já os Palancas Negras irão concentrar-se já neste domingo com vista à preparação das partidas de apuramento às fases finais do CAN2017 e do CHAN2016.

Resta agora saber em que condições os trabalhadores da FAF afectados pelas faltas de pagamento irão continuar a desenvolver as suas respectivas tarefas, uma vez que alguns ameaçam com uma greve caso a situação perdure.