FAF promete pagar salários em atraso há vários meses
O secretário-geral da Federação Angolana de Futebol (FAF), Cardoso de Lima, prometeu em declarações públicas, o pagamento dos salários em atraso aos funcionários da Federação dentro dos próximos 10 a 20 dias.“A resolução da questão salarial está para breve, há o empenho de toda a estrutura...

FAF promete pagar salários em atraso há vários meses

Federação Angolana de Futebol · Palancas Negras

O secretário-geral da Federação Angolana de Futebol (FAF), Cardoso de Lima, prometeu em declarações públicas, o pagamento dos salários em atraso aos funcionários da Federação dentro dos próximos 10 a 20 dias.

“A resolução da questão salarial está para breve, há o empenho de toda a estrutura para que dentro de dez ou 20 dias esta situação fique resolvida, para não agravar ainda mais a situação das pessoas afectadas”

Recorde-se que as "pessoas afectadas" a quem o dirigente se refere são funcionários da instituição que não recebem há mais de oito meses, existindo no seio dos mesmos a ameaça de greve, a renúncia a trabalhos extra, e clara afectação da produtividade.

Mesmo assim, e perante a incompetência e do elenco liderado por Pedro Neto no que se refere à capacidade de respeitar os contratos e direitos dos trabalhadores, a Selecção nacional foi capaz de receber e vencer por 4-0 no passado sábado a República Centro Africana, segundo declarações de Cardoso de Lima, fruto da ajuda suplementar de patrocinadores e amigos, tal como afirmou o dirigente: "Esta questão salarial preocupa-nos bastante, porque as pessoas estão há muito tempo sem receber, não queríamos que as coisas chegassem a esse ponto, mas tivemos de fazer uma engenharia financeira para dar prioridades à outras coisas. Tivemos de recorrer aos patrocinadores e pessoas amigas, senão corríamos o risco de nem efectuar o estágio que a selecção está a efectuar no Lubango".

A crise financeira que afecta a FAF já forçou a que a selecção nacional não participasse na edição deste ano da Taça COSAFA, e impede igualmente o correcto funcionamento da própria Federação, criando situações que podem eventualmente desvirtuar a verdade desportiva.